Hipnose e Hipnoterapia | Entrevista com Dr. Odair Comin

Entrevista sobre Hipnose e Hipnoterapia com *Dr.Odair J. Comin concedida ao Jornal Rudge Ramos.

1 – O que é Hipnoterapia? E qual seu objetivo?
OJC: Hipnoterapia é a utilização dos fenômenos específicos da mente chamados de hipnose. Estes no tratamento e cura das diferentes doenças, ou mesmo problemas de uma forma geral, além de trabalhar com a dor. Seu objetivo é o tratamento terapêutico por meio da hipnose, visando a solução do problema e a mudança.
2 – Quais são os benefícios da hipnose?

OJC: Um dos principais benefícios é a rapidez com que se consegue a solução. A hipnose é centrada na solução do problema específico, por isso a agilidade, é claro que um trabalho mais longo também é possível, isso dependerá da necessidade do paciente;

  • Outro benefício é a qualidade de vida como um todo, o relaxamento por si só já é terapêutico
  • A hipnose também proporciona um contato mais íntimo consigo mesmo;
  • Possibilita autoconhecimento e equilíbrio interno, o que fará com que o paciente tenha um controle maior sobre si mesmo.

3 – Quais os tipos de pacientes que mais procuram o consultório? Por quê?

OJC: Em meu consultório atendo pacientes com as mais diferentes queixas, porém em sua grande maioria, são pacientes que buscam soluções rápidas para os seus problemas. Desta forma, a ansiedade é uma constante nos pacientes. Outra característica que aparece em relevo, é o fato de terem buscado inúmeras formas diferentes de terapias mais convencionais não obtendo resultados, ou estes não foram os esperados, por isso veem na hipnose uma possibilidade de por fim em seu sofrimento. Isso acontece basicamente pelo fato da hipnose estar ganhando reconhecimento científico e ser eficaz em seus resultados.

Veja Também: PANTRUS - Autoterapia | Dê o primeiro passo para superar suas questões emocionais por si mesmo…

4 – A hipnose é eficiente na cura de quais tipos de doenças e traumas?

OJC: A hipnose é eficiente na grande maioria dos problemas ou doenças, além dos traumas que muitas vezes são a causa da doença ou problema atual. A hipnose apenas encontra barreira em pacientes com algum tipo de lesão cerebral, como psicóticos, ou mesmo problemas neurológicos ou alguns casos de deficiência mental mais severa. Pelo fato da hipnose ser um conjunto de fenômenos específicos da mente, se o cérebro tiver algum tipo de lesão ou anomalia, talvez não possa produzir tais fenômenos ou mesmo não ser recomendado no caso da psicose, onde há uma quebra do raciocínio lógico. A questão é do cérebro poder ou não articular o pensamento para que os fenômenos hipnóticos possam ser eliciados.

5 – A hipnose difere de um paciente para outro?

OJC: Cada indivíduo é um ser único, cada um tem sua própria realidade individual, portanto a hipnose deve ser feita sob medida para cada paciente. Os fenômenos hipnóticos são iguais para todas as pessoas, porém a forma de induzi-los é particular. É necessário conhecer o paciente, fazer o diagnóstico, traças as estratégias para depois intervir. Deve-se buscar a motivação para a mudança no próprio paciente. Se tivermos 10 pacientes com ansiedade, por exemplo, cada um deles desenvolveu esta por motivos diferentes, depende da história de vida de cada um, e por isso a forma de utilizar a hipnose será distinta.

6 – O que é o estado de transe hipnótico?

OJC: Muitos teóricos falam de transe e hipnose como se fossem a mesma coisa, por isso a denominação transe hipnótico. Porém, outros distinguem cada um deles como sendo diferentes. Aqui diferencio transe como um estado em que a atividade psíquica recebe um direcionamento específico e intensificado. Já a hipnose é um conjunto de fenômenos específicos da mente que produzem diferentes impactos, tanto físicos como psíquicos. Esses fenômenos poderão ser induzidos ou autoinduzidos através de estímulos dos 5 sentidos, sejam eles conscientes ou não. Entretanto, o transe pode estar levando ao desenvolvimento dos fenômenos hipnóticos. O transe pode ser eliciado mesmo não ocorrendo a hipnose, entretanto não há hipnose sem o transe.

Veja o Vídeo: Microterapia: Concepções sobre a voracidade pelo novo...

Agende sua Consulta com o Dr. Odair Comin

Faça o teste para saber se você tem Medo do Abandono.

Teste Medo do Abandono

Teste Medo do Abandono

 
7 – A hipnose tem algum risco?

OJC: A hipnose em si não oferece nenhum risco. O risco está em como a hipnose será utilizada. Poderíamos fazer uma analogia perguntando: uma faca oferece riscos? Em si a faca também não oferece nenhum risco, sua virtude é cortar. O risco está em como ela será utilizada e para quê. Pode servir tanto para cortar um alimento ou ferir alguém. Da mesma forma, a hipnose não oferece riscos, o risco está no hipnoterapeuta, que deve ser acima de tudo, um profissional que saiba o que, como, e para que está fazendo a hipnose. É importante que conheçam a fundo a hipnose, suas possibilidades e impactos no pensamento e no corpo do paciente.

8 – O paciente que fizer auto-hipnose pode sofrer alguma consequência?

OJC: Os riscos tanto da hipnose quanto da auto-hipnose são os mesmos, é preciso saber de onde está se partindo e para onde se está indo e o que fará depois que chegar. Depende do que o indivíduo irá comunicar para si mesmo, pois os impactos nesses estados são maiores. Porém, se ele souber o que está fazendo não há problemas, a auto-hipnose poderá ser feita e poderá trazer bons resultados. Se houver perda do controle, normalmente o indivíduo cai num sono fisiológico e depois acorda.

9 – A hipnose é recomendada para todos os tipos de pessoas: crianças, adultos, idosos, cardíacos, grávidas, etc?

OJC: Sim, a hipnose é indicada para qualquer tipo de paciente, crianças, adultos ou idosos. É claro que cada um tem uma forma diferente de se trabalhar. A intervenção dependerá da realidade individual de cada paciente. Uma criança terá uma abordagem diferente de um idoso, por exemplo, e assim sucessivamente.

Veja Também: A Hipnose é uma Ferramenta Nativa da Mente

10 – Como a Hipnoterapia é utilizada em pacientes terminais?

OJC: Em pacientes terminais a hipnose será utilizada dependendo da necessidade do paciente, se for a dor, como no caso de um paciente com câncer, trabalhar-se-a a dor em si, sua diminuição ou extinção. Além da diminuição ou extinção dos efeitos colaterais da quimioterapia. Pode-se também trabalhar as questões psicológicas, como o medo da morte, mágoa ou raiva de algum familiar ou amigo, ou simplesmente para que possam viver melhor seus últimos momentos e com mais tranquilidade.

11 – A hipnoterapia é uma vertente da psicologia?

OJC: Hoje a hipnose tem uma atuação muito maior na psicologia, e é onde se consegue uma abrangência maior de suas possibilidades. Porém, a gênese da hipnose está ligada a medicina, e mesmo antes da medicina era utilizada nas civilizações antigas pelos xamãs. A história mostra que a imaginação na cura que pode ser obtido por meio da hipnose, era utilizada a mais de vinte mil anos atrás. Existem documentos de 4000 a.C. descobertos na Mesopotâmia revelando que sacerdotes utilizavam transe e hipnose com objetivos de cura. Os papiros de Eber descobertos no Egito datam que em 1500 a.C. também se praticavam curas pela hipnose. Na Grécia em torno do ano 300 a.C., eram induzidos estados chamados de hipnagógicos ou sono divino, realizados nos templos de Asclépio que é o deus da Medicina. Nos anos que se seguiram, a hipnose estava sempre ligada a esta, mesmo porque a Psicologia começou a ser considerada como ciência a partir do século XVIII. Ainda assim, a hipnose era estudada apenas por médicos como Mesmer e o próprio criador do termo hipnose em 1843 James Braid. Mesmo o criador da hipnose moderna Milton H. Erickson era psiquiatra, porém foi ele quem começou a utilizar mais largamente no processo terapêutico. As pesquisas e estudos mais recentes estão sendo realizadas por psicólogos, como Ernest Rossi, Jeffrey Zeig, Guilligam, Yapko e outros.

12 – Qual a diferença entre Terapia Regressiva (TR) e Terapia de Vida Passada (TVP)?

OJC: A terapia regressiva se restringe à vida atual, é uma regressão de idade, enquanto que a terapia de vidas passadas tem seu foco em outras vidas e que portanto temos acesso a elas. Ao mesmo tempo que acreditam que os problemas atuais advém de conflitos vividos nessas outras vidas, e para resolve-los é preciso voltar a uma dessas vida onde está a causa do problema.

Veja Também: A Hipnose Clínica e a Evolução Exponencial da Mente

13 – A TR e a TVP são eficazes na cura de quais problemas?

OJC: Esses modelos de terapia tem uma larga abrangência, poderíamos dizer que atuam nos problemas humanos como um todo, alguns mais eficazes do que outros, porém não dá para precisar quais terá mais eficácia, depende muito de como o processo terapêutico será conduzido.

14 – Qualquer pessoa pode fazer regressão ou há restrições?

OJC: A regressão é um dos fenômenos da hipnose, e como já foi frisado, não é indicado para pacientes psicóticos ou com algum tipo de lesão ou anomalia cerebral. Ademais, qualquer pessoa poderá passar pelo processo hipnótico da regressão.

*Odair J. Comin
Psicólogo Clínico, Especialista em
Hipnoterapia e Escritor.

Agende sua Consulta com o Dr. Odair Comin

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.

Newsletter | Inscreva-se...Odair Comin